/** CASO SEJA UM ARTIGO **/



Inovação na metodologia de ensino-aprendizagem

Para se criar uma nova Medicina, antes é necessário criar uma nova educação na área. Foi pensando na evolução do ser humano e da vida em sociedade que o UNIFESO passou a abordar o método de Aprendizagem Baseado em Problemas (ABP), uma metodologia na qual a apresentação de uma situação é utilizada para motivar a aprendizagem e onde o docente assume o papel de orientador. A “velha ordem” de especialização e compartimentalização das ciências foi posta de lado para dar lugar ao ensino superior constituído por múltiplas dimensões do conhecimento humano com uma formação teórico-prática fundamentada no rigor científico, técnico, nas reflexões humanistas e na conduta ética.

O estudante como protagonista

No projeto pedagógico do curso de Medicina do UNIFESO o estudante é visto como um pensador e a sua participação ativa é ponto fundamental para a motivação e aquisição de conhecimento. Ele enfatiza o realizar, a relação do indivíduo com o meio ou com o objeto a ser explorado e, em especial, o conceito de que a educação médica é um processo que se inicia na graduação e continua na vida profissional. A postura mais investigativa da realidade é destacada desde os primeiros dias de aula. “Sempre digo aos alunos que saber fazer boas perguntas é mais importante que ter a resposta para tudo. A quantidade de informações disponíveis nos dias de hoje é imensa, não tem como um médico saber tudo sobre todos os assuntos. Dessa maneira, reforço que mais importante que ter a resposta na ponta da língua é saber como e onde procurar por ela; sem deixar de lado a importância de se atualizar e de fazer as perguntas certas ao paciente”, ensina a professora Mariana Beatriz Arcuri, Diretora do Centro de Ciências da Saúde.

O UNIFESO como fonte de estímulo e parceria

A metodologia estimula no aluno a capacidade de aprender a aprender, de trabalhar em equipe, de ouvir outras opiniões – mesmo as diferentes da sua - e o induz a assumir um papel ativo e responsável pelo seu aprendizado, segundo suas próprias necessidades. Nesse processo, o papel do professor, monitor ou tutor sofre uma mudança radical: ele deixa de ser o transmissor do saber e passa a ser um estimulador e parceiro nessa descoberta do conhecimento. Esse currículo integrado requer a articulação entre a instituição de ensino e os serviços de saúde, entre as distintas áreas de conhecimento, entre os aspectos objetivos e subjetivos, no qual o futuro médico atua como agente da saúde integrado às necessidades da comunidade. “No UNIFESO o aluno vai ser treinado exaustivamente na prática durante os seis anos de curso. Vai vivenciar situações difíceis de lidar, vai aprender a se perguntar, a estudar o problema e a observar a realidade de maneira ativa, de forma a se tornar um profissional mais qualificado e diferenciado, com uma postura ativa e que se dedique integralmente à vida das famílias na comunidade. Essa é a realidade experimentada por todos no hospital de ensino (HCTCO), no ambulatório e em todos os projetos acadêmicos propostos dentro e fora da sala de aula”, completa a Diretora do Centro de Ciências da Saúde do UNIFESO.